Pesquisar este blog

quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

George Michael, meu eterno Ídolo

Depois de tanto tempo afastado daqui, a última coisa que eu gostaria de publicar no blog seria sobre a morte de mais algum artista, principalmente a dele. Assim como ocorreu com a perda de David Bowie, em janeiro deste ano, ensaiei por dias o que escrever sobre George Michael, falecido na manhã do último dia 25 em sua casa, no sudeste da Inglaterra. E agora o discurso é mais emotivo, porque diferente de Bowie, acompanhei a carreira do GM desde o início da sua chegada no Brasil.

No começo dos anos 1980 havia uma explosão de novos artistas surgindo no mercado fonográfico, e um me chamou a atenção logo na primeira audição. Era o grupo Wham! Dupla inglesa composta por George Michael e Andrew Ridgeley. O ano era 1984, nas rádios tocava Wake Me Up Before Go-Go e na TV, o clipe da mesma canção era constante. A primeira imagem gravada na memória é a dele em close, com a camisa rosa e as luvas amarelas, esbanjado charme e energia. Eu, no auge da adolescência, havia "descoberto" mais uma banda para seguir. Sim, era "cool" ter ídolos e defendê-los com unhas e dentes na época da efervescência da música Pop. Desde então, acompanhei a carreira dele. 

Ele foi uma referência tão importante pra mim, que tomei coragem para furar as duas orelhas e andar por aí com brinco de argolas nelas, como as que ele usava. O terceiro post publicado aqui, foi dele. Um dos meus primeiros LPs - Faith, também foi dele. Enfim, minha vida musical sempre teve GM, assim como Rita Lee, Elis Regina, Tina Turner, Madonna, Michael Jackson, Marina Lima, Kid Abelha, Culture Club, Legião Urbana, RPM, Pet Shop Boys, Tears For Fears e A-ha. Estava sempre atento e ansioso para vê-lo em cena de novo, não importava como. Fosse na arte ou nas polêmicas que giravam a sua volta. O simples fato de saber que ele estava vivo, já me bastava.

Ouvi a notícia pela rádio na noite de domingo. Aumentei o som para me certificar se era mesmo dele que estavam falando e... Era. Quantas lembranças começaram a brotar na minha mente. A primeira música, a primeira imagem, o primeiro disco, a primeira defesa, a primeira apresentação, a primeira gravação... Tudo ao mesmo tempo. A sensação de vazio e o pensamento: Perdi a chance de estar próximo do meu ídolo - em 1991, quando ele se apresentou no Rock in Rio -, e agora não o verei, em carne e osso, jamais. Sempre alimentei a esperança de que um dia ele voltaria a se apresentar no Brasil. Assim como a morte de Michael Jackson, no dia do meu aniversário, perder outro ídolo numa data emblemática, irá me marcar para sempre. Tô começando a achar que o dia 25 não é tão auspicioso como sempre imaginei.

É fato que a passagem dele por aqui foi tão importante quanto a de outras estrelas da música Pop. Suas canções e clipes serviram de referência para vários artistas. GM vendeu mais de 100 milhões de cópias no mundo todo. 

Seu álbum de estreia solo, Faith, vendeu 20 milhões de cópias e lhe rendeu o Grammy de melhor disco em 1989. Ao longo dos 40 anos de carreira, ele lançou somente 7 álbuns de estúdio, 2 com o Wham!, mas teve vários hits nas paradas de sucesso: Wham Rap! (Enjoy What You Do?), Club Tropicana, Wake Me Up Before Go-Go, Everythig She Wants, I'm Your Man, Freedom, Last Christmas, Careless Whisper, A Different Corner, Faith, I Want Your Sex, Father Figure, One More Tray, Monkey, Kissing A Fool, Praying For Time, Killer / Papa Was Rollin' Stone, Freedom 90, Cowboys And Angels, Jesus To A Child, Fastlove, Older, Spinning The Wheel, Star People, You Have Been Loved, Roxanne, Amazing, John And Elvis Are Dead, Freeek! '04, I Knew You Were Waiting (For Me) com Aretha Franklin, Desafinado com Bebel Gilberto, As com Mary J Blige, If I Told You That com Whitney Houston, Somebory To Love com Queen, Don't Leat The Sun Go Down On Me com Elthon John, These Are Days Of Ours Lives com Lisa Stansfield e Queen.

GM lançou clipes de músicas inéditas e o álbum Symphonica em 2014. Para 2017 tinha planos de um novo álbum e mais um documentário sobre a sua vida. Infelizmente não deu tempo para coloca-los em prática. Quem sabe a família leve os planos deles a diante.

Como homenagem ao meu grande ídolo, deixo o clipe da canção que ele compôs em homenagem ao seu grande amor da vida, Anselmo Feleppa.

Jesus To A Child
Jesus Para Uma Criança
Que os dois possam se reencontrar e "viver" esse amor interrompido precocemente. 

Meu caro Georgius Kyriacos Panayiotou, seja feliz, seja pleno... CHOOSE LIFE! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário